jump to navigation

“COGUMELOS MÁGICOS” PARA TODOS Fevereiro 9, 2007

Posted by Rui Formiga in Sociedade.
trackback

A loja “Cogumelo Mágico” abriu as portas ao público na passada quinta-feira, dia 8, em Aveiro (centro comercial Oita). Carlos Marabuto é o proprietário da primeira smart-shop a abrir portas fora do território holandês, país onde existem centenas de espaços de venda e consumo – coffee-shops – das ditas “drogas leves”. De notar que a Holanda é, até ver, o único país da Europa onde este tipo de drogas não são inconstitucionais.

GrowBoxDe acordo com as informações noticiadas esta noite pela SIC, a loja teve já vários visitantes dos quais se destacam seis agentes da PSP que apenas apreenderam algumas substâncias «para análise». Assim, a loja continua de portas abertas e qualquer um (com mais de 18 anos) pode comprar Salvia Divinorium pronta a ser fumada, cactos de S. Pedro de onde pode retirar Mescalina, kits de cultivo de cogumelos alucinogéneos e chás de Ayahuasca – uma mistura de plantas ingeridas pelos xamãs em rituais “mágicos” – entre muitas outras drogas e material de cultivo.

A explicação para a loja continuar aberta e Carlos Marabuto continuar em liberdade é muito simples: a lei portuguesa não proíbe a venda destas substâncias. «Vendemos apenas produtos de origem natural, que não estão na lista dos produtos proibidos, mas que contêm princípios químicos activos. Isso posso garantir eu e a minha advogada. É o caso da erva sálvia que é legal desde a plantação até à venda e consumo. É uma erva alucinogénica que pode ser fumada ou usada em chá através de concentrados com os quais, em doses de um grama, já se consegue ter uma ‘trip’ alucinogénica», afirma, tranquilo, o dono do “Cogumelo Mágico”. Carlos Marabuto diz ainda que «a abertura desta casa pode dar início a uma mudança na maneira como as pessoas vêem as drogas em Portugal» e que foi «com muito trabalho» que conseguiu “roubar” da Câmara de Aveiro a lincença que lhe permitiu abrir esta «ervanária para maiores de 18».

Este Acontecimento suscita-me algumas questões, das quais destaco as seguintes: afinal, o que são e quais são as “drogas-leves”? E se o próprio comerciante (e não traficante porque não há leis que me permitam disigná-lo como tal) afirma que vende produtos alucinogénicos, será aceitável que os nossos legisladores se estejam marimbando? As substâncias que vendidas no “Cogumelo Mágico” são provocadoras de alterações do estado de consciência de quem as consome, provocando alucinações que podem, posteriormente, provocar danos cerebrais irreversíveis. Será que isso não coloca estas drogas num patamar acima e bem mais perigoso daquele onde está a “tradicional” Marijuana que, mesquinhamente, tem sido alvo de tanta polémica e repulsa?

AZARIUSDe facto, esta loja não é a única que contorna as leis europeias. O site Azarius está registado em seis países da Europa – Reino Unido, Holanda, Alemanha, França, Espanha e Portugal – e, à semelhança do “Cogumelo Mágico”, disponibiliza um vasto leque de drogas e assessórios para o seu consumo e cultivo doméstico e funciona já há alguns anos. No Azarius é possível encomendar drogas em quantidade literalmente industrial (literalmente), e são feitas distribuições para todo o mundo. Assim, pergunto-me: será aceitável existirem sites onde se podem encomendar QUILOS de cogumelos alucinogénicos (por exemplo)? E, note-se ainda, neste site não existe qualquer tentativa de garantir que os visitantes são maiores de idade!

Eu até compreendo… são tantos tipos de droga..! Já viram bem a trabalheira que as brigadas de narcóticos e, posteriormente, os legisladores iam ter para documentar tanta coisa? Isso ia gastar muita tinta… Já para não falar da extrema dificuldade com que os senhores agentes da autoridade seriam confrontados quando estivessem a fazer apreensões:

– Agente Gomes, diga-me lá se a carteira deste rapazolas não tresanda a Amanitas Muscaria?
– Não chefe… estou convencido que são Psilocibos Cubensis.
– Tem a certeza, Gomes? Hmmm… Então tire-lhe lá as algemas! Só a partir da próxima Quarta-Feira é que vai haver leis para isso.

Mas pronto… por certo que se não fossem personagens como o Sr. Marabuto ninguém se lembrava que este tipo de pseudo-(i)legalidades são reais.

O ACONTECE deseja-lhe boas vendas e continuação de uma boa liberdade.

Comentários»

1. Mário Ventura - Fevereiro 10, 2007

Abriu hoje? Sinceramente pensei que fosse já um estabecimento aberto ao público há algum tempo, foi isso que depreendi do que vi na televisão…mas se abriu agora porque não impediram essa abertura?

2. Rui Formiga - Fevereiro 10, 2007

Por acaso foi erro meu, não abriu na sexta-feira mas sim na quinta (dia 8 de Fevereiro), mas já está corrigido.
Quanto à tua pergunta… se leres o post és capaz de perceber!
Digo eu… raio de pergunta!

Mas pronto, eu ajudo… “Mas a explicação para a loja continuar aberta e Carlos Marabuto continuar em liberdade é muito simples: a lei portuguesa não proibe a venda destas substâncias.”

3. Carlos José Teixeira - Fevereiro 12, 2007

Pois é… a discussão entre a permissividade do consumo de drogas ditas leves vai sempre esbarrar em não sei quantas perguntas. A primeira, conforme está escrita no post, é “O que são drogas leves?”. Depois dessa, muitas surgem… “Devemos legalizar para controlar a qualidade e acabar com o tráfico ilegal?”, devemos, por outro lado, proibí-las e, coerentemente, proibir o consumo de álcool e outros que tal?
Perguntas, perguntas…
Mas ainda me faz alguma confusão. Eu não sou nenhum santo, já tive os meus tempos de fumar “uns charutos” – e não me fez mal nenhum, adiante-se. Mas, sinceramente, não vejo com bons olhos a venda indiscriminada de substências estupefacientes. Talvez apele um pouco à banalização do alheamento da realidade, um pouco o “soma” do Admirável Mundo Novo de Huxley. Mas, como digo, o álcool anda aí e é perfeitamente aceite pela sociedade…
Enfim, sinais dos tempos, talvez…

Pedro Fernandes - Dezembro 17, 2010

venha o soma do ‘admirável mundo novo’! venha ao menos a possibilidade de alheamento! já que nos cruzamos na rua com crianças com fome…

4. PsychoticElf - Fevereiro 13, 2007

acho mt bem pessoal!!! entretanto legalizamo-las, que dizem??

5. Marco Prata - Fevereiro 13, 2007

Parabéns!!!!!
Finalmente alguem com corágem.Sou consumidor de subestançias psicoactivas e principalmente PSICONAUTA á bastante tempo.Gostaria de falar com Carlos Marabuto para possivél sociadade, visto que tenho uma loja na zona Cascais\Sintra que de momento não está a ser usada, e quém sabe criar outros negocios na mesma área, tal como CANHAMO INDUSTRIAL.Se estiver interesado conctatar o e-mail marcoprata@sapo.pt

6. Rui Formiga - Fevereiro 13, 2007

Eu sou completamente contra este tipo de loja… lembrem-se que as substâncias que C. Marabuto vende podem causar danos cerebrais irreversíveis. Acham mesmo que isso é de louvar?

Quanto ao Azarius, um dos produtos que lá se vende são balanças electrónicas de alta sensibilidade. Ora, se quem é “apanhado” com um instrumento destes é AUTOMATICAMENTE preso e julgado por tráfico de drogas, será que quem as vende não é ainda mais criminoso?

Como disse, sou contra!

noopie - Maio 29, 2011

Como é que sabes que podem causar danos cerebrais irreversíveis?
Não afirmo com certeza porém penso que as poucas drogas que destroem neurónios são o álcool, tabaco e inalantes.
Os alucinogénicos são as drogas que menos causam danos e dependência.
Já fui ao reino da psicadélia uma vez e adorei. Penso que deverias experimentar também, assim como provavelmente já experimentaste um copo de vinho. Não vais morrer nem ficar dependente.

Quanto à questão das balanças electrónicas, já me tinham falado disso e ainda não encontrei nenhuma lei que diga isso mas se existir, posso dizer que perderei ainda mais a pouca fé que tenho na humanidade.

7. Carlos José Teixeira - Fevereiro 13, 2007

@ Marco Prata: eheh! e pela forma como escreve, tem andado a abusar…

@ Rui Formiga: temos um problema que é o da regulamentação. A droga é um mal social dificilmente erradicável. Por isso, há que controlá-lo.
Não tenho nada contra a venda de determinadas drogas [e porque não todas… não sei ainda] em condições estritamente higiénicas, a saber:
– em locais e por pessoal devidamente credenciado para o efeito – farmácias e farmaceuticos.
– prescrito por médicos que hão-de regular as quantidades disponíveis para determinado período de tempo.
– obrigatoriedade de consultas de acompanhamento psicológico e acesso facilitado a instituições de tratamento.
… entre muitas outras que, concerteza, toda a gente há-de ter em mente.
Agora… há o problema cultural e os stresses pós-revolução. Mas consideremos a coisa como um PREC psicoactivo… 🙂

8. kazuza - Fevereiro 13, 2007

So tenho a dizer umas coisas ppl.
drogas leves sim á legalizaçao.
-Na droga so se quer paz e amor e mto pouca vontade de trabalhar para alguns.
-No alcool q e legal em todo o lado em q 99% das pessoas bebem tudo bem.
-No alcool bebem pra esquecer, ficam agrecivos, gastam montes de dinheiro q parte dela e pro estado, violencia domestica em mtos casos, problemas de figado e mto mais, por isso n sei o q sera pior ppl.

9. álma aérea - Fevereiro 13, 2007

sinceramente. para quê leis? se não é das drogas é das armas, se não é do fisco é da corrupção, se não é do aborto é da prostituição, leis leis leis leis leis leis

é a corda bamba

hoje é uma coisa
amanhâ é outra

tretas que servem para uns homens dominarem os outros.

ninguém sabe a verdade.

Uns consomem drogas e ficam com danos irreversíveis.

Outros consomem a vida toda são génios da humanidade durante centenas de anos (Da Vinci, F. pessoa, Oscar Wilde, Freud, entre uma listagem enorme que se vocês soubessem, com tantas leis e normas estariam proibidos de os ler ou estudar sequer).

e daí, qual é a verdade?

O problema não está nas armas.
O problema não está nas drogas.
O problema não está no dinheiro.

Está na educação.
Pois com educação poderemos falar em liberdade.

Muitas velhotas que têm cactus alucinogénicos ou salvia plantada nos seus jardins e não o sabem nem nunca o saberão. Agora um tolo qualquer no méxico experimentou essas plantas e ficou a “conheçer” outros mundos e daí cresçeu o shamanismo. Antes de as pessoas começarem a discutir “isto é bom, isto é mau” vamos investigar as sua origens. Vamos saber porque é que até aos anos 30 havia as chamadas Salas de Ópio, e existia também o famoso Absinto. Porque é que acabou? Já investigaram? Já ouviram falar na famosa lei Proibicionista dos anos 20 no E.U.? …São tudo negócios de quem está no poder. (porque raio continuamos dependentes dos americanos?)

Sabiam que há 500 anos atrás as cordas da naus dos descubrimentos eram de cánhamo e sabiam que Portugal era o maior exportador de cánhamo da altura?

E daí?

Ninguém se preocupa com ninguém. Não vivamos ilusões. Ai e tal se a juventude consome drogas, ai e tal se os trintões se perdem em prostitutas, ai e tal se os quarentões se perdem em negócios da meia noite. Sinceramente, portugal vai explodir e nem se lembra que anda aos anos a importar aquilo que não lhe serve.

SOMOS UM PAÍS DE INTELIGENTES
vamos usar o nossos cérebros.

ai esqueçi-me que Portugal já está muito corrupto e niilista.

pois falha na educação….na saúde…

tentam programar o Português com novelas e demagogias….

mas o português ao longo de sua História sempre foi um rebelde, e mais uma vez o tentam pôr na linha… enfim…

isto vai explodir, e sábios são aqueles que se afastam dos tristes.

sugestão – Quino – Que agradável surpresa

ps: uma coisa vos garanto, a droga mais impressionável que existe é o álcool, estudem e percebam o “poder” dela. Não é por acaso que existe um deus baco na mitologia grega.

ps2: as respostas estão á frente de nossos olhos, OLHEMOS.

peace

David - Fevereiro 24, 2010

Melhor post que vi até hoje, aconselho a todos lerem, alcol e tabaco tambem sao drogas nao se esqueçam, olhem primeiro para vocês antes de dizerem que são contra ou a favor..
Eu fumo, pois fumo, mas fumo para me ajudar a dormir, tenho vezes em que estou bastante cansado e não preciso de fumar para dormir, dai não me considerar viciado em drogas, e só fumo porque tive problemas com os medicamentos que o medico me receitou, esses sim criaram dependencia e foi muito dificil deixar de toma-los… pensem um bocad antes de julgar quem quer que seja. peace

10. álma aérea - Fevereiro 13, 2007

ps3: um dos grandes males do mundo é precisamente a violência, e o álcool, como qualquer pessoa da ciência o sabe ou simplesmente quem anda na rua, sabe que o álcool está fortemente associado a violência e a relações sexuais precoses como de risco. E daí?

“pode mas é ilegal”
“pode mas não deve”

então que liberdade é que vivemos?

alguém me explique por favor que agora fiquei confuso e cada vez mais penso que tenho o cérebro quadrado porque a realidade está cada vez mais contraditória.

já não se ensina o que é o amor
já não se ensina o que é a felicidade

consome
trabalha
consome
trabalha
consome
trabalha

só guerras nesta sociedade que não é melhor explicada pela metáfora da babilónia.

peace

11. fofa - Fevereiro 13, 2007

pois… e alguem sabe onde se pode encontrar anfetaminas?

12. Coyote - Fevereiro 14, 2007

Hipócritas não!!!Vamos ao referendo!!!Está na hora!!!

13. PRETO - Fevereiro 14, 2007

Acho muito bem abrir uma loja destas.
Um dia destes apareço lá para ver se tem alguma coisa que me interesse.
PORTEM-SE……

14. isso - Fevereiro 14, 2007

voces estao todos drogados só pode não?
as drogas sao uma merda… mas uma merda boa

15. VANDONA - Fevereiro 14, 2007

E que tal vendas por aqui
Sou de Setubal e nao tenho disponibilidade de me deslocar ao seu p.v., sou consumidor habitual de canabis ha muitos anos e não tenho qualquer tipo de dependencia fisica e mental, pois só fumo quando tenho e quando não tenho não fumo, não fico a tremer nem tenho que ir roubar para arranjar dinheiro para comprar.
Gostava muito de exprimentar os seus produtos naturais mas estamos tão longe fisicamente
Continuação de um optimo negocio e parabens pela inovação

16. marabunta - Fevereiro 14, 2007

O Sr.Carlos n apareceu por acaso. Foi enviado pelo ser superior para que seja feita a nossa vontade, ou seja, O referendo ao Aborto já ganhámos. Agora venha o da legalizaçao das drogas leves.
VAMOS A ISSO!……

17. Parvo Na Cadeira - Fevereiro 14, 2007

As drogas em si nunca foram problema.

O problema é o abuso das mesmas, pessoas que não sabem parar e depois geram-se os problemas de violência, problemas físicos e emocionais e dependência, o que leva a que o problema muitas vezes bata à porta de outros através das mais variadas circunstâncias.

Não sou consumidor de qualquer tipo de droga (exceptuando uns copitos de vez em quando), mas percebo a atracção que as pessoas têem às drogas.
Será uma parte disso devido ao efeito do “fruto poibido”? Certamente.

Legalizando por um lado toma-se como algo aceite na sociedade o que apesar do que certas minorias querem fazer parecer, não o é. Por outro lado pode-se punir mais severamente os abusos…

O ideal era perder-se a ilusão de que as drogas (de qualquer tipo) são uma “cena fixe” e “é o que a malta toda curte e por isso deixa lá experimentar”.

18. Joao Pires - Fevereiro 15, 2007

Só tenho duas perguntas a fazer:
Nao sera o alcool a maior droga de todas?
Por isso, questiono me sobre o porquê de tanto alarido sobre a abertura desta loja?

19. Parvo Na Cadeira - Fevereiro 15, 2007

@joão pires

Não.

As consequências que traz em comparação a outras não a faz a maior droga de todas, por muito que o seu comentário o esteja a querer fazer parecer.

20. Gaspar Bettencourt - Fevereiro 15, 2007

Nunca vi tantos imbecis falar tao mal de alucinogenicos!
Eu ja experimentei varias vezes, mais de 20 e nao tenho danos irreversiveis. E consegui acabar a licenciatura de Gestão com mérito e 3º melhor aluno da faculdade! E quem realmente nao sabe, nao fala. Experimentem e depois concluam!
Assim é que é um bom ser humano, senao, não passa mesmo de um animal irracional que tem medo do objecto que nao conhece nem nunca o experimentou. E o alcool? E o tabaco que reclamam cerca de 2.000.000 de vidas por ano? E a obesidade? Que reclama ja no mundo inteiro 5.000.0000 de vidas?? Ninguem fala? Engraçado… Pessoas que me dizem “fumar faz mal e mata”, pois eu digo “oh sua porca, pare é de comer e comece a fazer exercicio senao ainda cai para cima da minha sopa com um AVC, enfarte ou com uma das 100 doenças que a gordura provoca”!
Aqui está, o porque dos Aztecas e Incas serem tão avançados. Os alucinogenicos que eles experimentavam, sao os mesmos de hoje e o conehciemnto que eles dão, não são alucinações, na realidade são alcances que a mente nunca teve, uma vez que a poderosa enzima destas planats da natureza, fazem trabalhar a parte do cerebro adormecido e os conhecimentos chegam em segundos o que nos levaria anos e anos a entender!! Espero que tenha contribuido para um melhor esclarecimento! Atenção: Eu ja fui contra este tipo de plantas, até experimentar! Vale bem a pena, especialmente a Salvia Divinorum! Um grande abraço a todos

21. ramuf - Fevereiro 15, 2007

e kê mano td fixe??
essa loja devia era abrir em braga tb!! tens 100% de apoio aki do povo brakarense!!
konta connosco aí!!! vamos ai comprar uns kits “cogumelo mágico”!!
sim ás drogas “todas”!!!!!
é sempre a dar-lhe desde as “fumaças” até aos “snifes”!!!!
fumem drogas pa frente!!!!!! vao ver a vida com outra prespectiva!!!!
abraço

22. Joao Pires - Fevereiro 15, 2007

@Gaspar Bettencourt tem toda a razao, eu ja experimentei varios alucinogenicos, sou formado em fisioterapia, nunca falhei um ano, nao tenho qualquer tipo de deficiencia cerebral, ou outro qualquer dano devido ao uso das ditas “drogas leves”.
Que fique aqui bem claro que nem apoio nem contesto a abertura desta loja, pois é irrelevante para mim…

23. WildFaun - Fevereiro 15, 2007

Os comentários aqui presentes são reveladores da já habitual ignorância no que toca ao assunto das “drogas”. Nâo sei se isto é um sintoma de tempos democráticos, o ter-se uma opinião acerca de tudo, ainda que o conhecimento sobre esse mesmo assunto se resuma a duas ou três notícias vistas no jornal a correr muito enquanto se engolia o almoço. Embora se compreenda, já que são muitas vezes as instituições do próprio Estado a espalhar a desinformação, seria aconselhável um pouco mais de prudência ao comentar-se assuntos que não se dominam. Mas adiante…

“As substâncias que vendidas no “Cogumelo Mágico” são provocadoras de alterações do estado de consciência de quem as consome, provocando alucinações(…)”

Antes de mais é preciso dizer-se que o termo alucinogénio não é aceite por todos, é usado frequentemente pelos detractores. Ao nomear-se uma substância como “droga alucinogénia” está-se a dizer que a alucinação é uma característica central do seu consumo, o que é falso. Estas substâncias psicadélicas têm como característica comum a de induzirem a um estado mental diferente do da “consciência quotidiana”, estados mentais semelhantes aos que se atingem durante a meditação, os sonhos, as experiências místicas e de exaltação religiosa. Os efeitos físicos são praticamente não existentes e por essa mesma razão a overdose é impossível, tal como a dependência. Os efeitos mentais podem ser mais ou menos subtis, dependendo da dose, e muitas vezes não implicam que haja nenhum tipo de visão ou de alucinação. Em doses mais elevadas é verdade que surgem por vezes visões quando se fecham os olhos, ou mesmo alucinações. Mas lá está, isto também é verdade no caso da meditação (nas fases mais avançadas), no dos sonhos e nas experiências místico-religiosas. E essas experiências são muitas vezes terapêuticas, quando não mesmo catalizadores de mudanças profundas na vida das pessoas. É aliás por isto que os povos desde há milhões de anos usam estas mesmas drogas psicadélicas, – desde europeus, a índios sul e norte-americanos, a africanos e asiáticos – reconhecendo o seu enorme potencial terapêutico e religioso, tendo tido a sabedoria de integrar estes consumos no seu contexto etnocultural e religioso de forma a poderem tirar delas o melhor partido. Há bastante bibliografia sobre o assunto para quem quiser saber mais. Não é estranho que em tempos de materialismo extremista se olhe para tudo isto como sendo loucura, ou na melhor da hipóteses, patetice. Que seja.
Apesar desta cegueira moderna alguns psicadélicos (como o LSD) eram usados antes da sua proibição por psicólogos e psiquiatras, tendo os seus efeitos positivos no contexto da terapia entusiasmado os terapeutas, até à proibição do LSD como castigo pela “heresia” hippie.
Dito isto, é bom que se saiba que não é muito recomendável tomar um cogumelo no meio da Avenida da Liberdade – também não aconselho a prática de yoga no meio da mesma. Não me parece que isso seja razão para proibir nem um nem outro.

“(…)que podem, posteriormente, provocar danos cerebrais irreversíveis.(…)”

Isto é mentira. E por ser mentira desafio-o a colocar aqui um estudo médico credível que o indique. As drogas psicadélicas não são alcóol.

”(…)Será que isso não coloca estas drogas num patamar acima e bem mais perigoso daquele onde está a “tradicional” Marijuana que, mesquinhamente, tem sido alvo de tanta polémica e repulsa?(…)”

Perigoso não, diferente. Repare que muitas vezes a utilidade de um objecto é proporcional à sua perigosidade. Como é o caso de uma faca, de um automóvel, da cola (suponho que não queira proibir a cola porque há miúdos estúpidos que se divertem a snifá-la) ou… de uma droga. É verdade que os psicadélicos por mexerem com a mente e com as nossas emoções mais profundas devem ser usados com precaução, esse poder deve ser respeitado e não abusado.
Mas nisso concordo finalmente consigo, não há razão alguma de ordem prática e lógica para se proibir a cannabis. Como é aliás absurdo proibir qualquer substância no seu estado natural. Mas compreendo que uma humanidade que em 300 anos destruiu mais o planeta e o mundo natural (existe outro?) do que em biliões de anos anteriores não consiga compreender isto.

“Talvez apele um pouco à banalização do alheamento da realidade, um pouco o “soma” do Admirável Mundo Novo de Huxley.”

Afirmação muito, muito infeliz. Aldous Huxley além de um grande escritor era um acérrimo defensor do uso de psicadélicos (mescalina e LSD neste caso) como ferramenta para a busca espiritual. Ler “As portas de percepção” e “O céu e o inferno” do Huxley, por exemplo.

24. Carlos José Teixeira - Fevereiro 16, 2007

“Talvez apele um pouco à banalização do alheamento da realidade, um pouco o “soma” do Admirável Mundo Novo de Huxley.”

Afirmação muito, muito infeliz. Aldous Huxley além de um grande escritor era um acérrimo defensor do uso de psicadélicos (mescalina e LSD neste caso) como ferramenta para a busca espiritual. Ler “As portas de percepção” e “O céu e o inferno” do Huxley, por exemplo.

*******************************************************************

Car@ WildFaun:
Não fosse a ânsia atabalhoada de tentar demonstrar todo o seu suposto conhecimento da matéria e teria decerto reparado que nem sequer refiro a tendência de Huxley em relação ao uso de drogas.
Na realidade, ao que me refiro é ao papel da droga na sua obra “Admirável Mundo Novo” que é, por assim dizer, o de controlar um estado artificial de felicidade a uma casta de população que, por obrigação, não deve ter em consideração problemas existenciais ou duvidar do facto de ser feliz.
Caso tenha tido acesso ao livro, ao lê-lo deverá ter notado este tipo de conceito para o “soma” que é distribuído em rituais religiosos em nada diferentes dos que aponta como sendo ancestrais.
Li Huxley provavelmente há mais anos dos que você tem de vida e devo-lhe dizer que, a par do “Admirável Mundo Novo”, a outra obra singular que encontrei deste autor terá sido “O Tempo Tem De Parar”. As obras que refere são, no ex-libris do autor, obras menores.
Se o propósito for oferecer romances em torno da utilização de drogas considero existirem obras bastante mais elucidatórias e deixo-lhe dois exemplos bastante fáceis de ler: “O Festim Nú” do contemporâneo e amigo de Huxley, William S. Burroughs e “Viagem ao Mundo da Droga” de Charles Duchaussois. A par destes existe uma vasta gama de literatura de ficção e uma ainda mais abrangente gama de literatura científica.

O que nos dizem ambas?
Dizem-nos precisamente o que você nega. É-nos explicado, não só no “festim nú” como nos trabalhos do MIT na investigação de estados alterados realizada nos anos sessenta e setenta, que na realidade as drogas sintetizadas, como os ácidos, e as drogas com elevada percentagem de alguns componentes, como a mezcalina, induzem o consumidor num estado de alucinação. E alucinação não é só “ver coisas”. É muito mais do que isso.
Outra coisa em que tanto a literatura de ficção como os mais reputados estudos científicos afirmam é que, na realidade, o consumo desse tipo de drogas provoca danos cerebrais irreversíveis. Concerteza estará familiarizad@ com a expressão “ficar colado”. É disso que se trata e não, tenha paciência, mas não é necessária uma sobredosagem.
Se quiser consultar alguns estudos recentes, irá aperceber-se de uma coisa mais inquietante ainda: a própria utilização de haxixe, erva, etc., ou seja, “drogas leves”, provoca também danos cerebrais irreversíveis.
Aliás, em que difere uma “droga leve” de uma “dura”? No tamanho da pedrada? Está mesmo convencid@ – você e os outros – que a utilização de “drogas leves” não provoca habituação, que o consumo de “drogas naturais” não é prejudicial? Desengane-se.
No meu ponto de vista, não existe nada mais perturbador que os falsos sentimentos de segurança, de felicidade, de “abertura de espírito” que a droga fornece. Não existe liberdade na droga, não existem “planos elevados” ou “transes” no seu efeito. A única coisa que existe são reacções químicas inibidoras de determinados circuitos. Nada mais.
Cada vez vejo mais “putos” a não conseguirem rir sem “fumar um charuto”, cada vez vejo mais gente a dizer que não vai a um concerto “careta”, cada vez vejo mais miúdos que não estão para “dar uns beijos” sem nada. E isso é, para além de ridículo, profundamente triste. O “soma de Huxley.

O que você faz no seu texto é precisamente o que aponta no seu início: manda uns “bitaites” acerca do assunto porque está na moda ter opinião acerca de tudo e de nada. Não revela, no entanto, mais conhecimento acerca do assunto que aquele que lhe foi proporcionado por uma deficiente leitura desta problemática ou por uma influência “pop” qualquer que lhe caíu no goto.
Mistura ancestralidades com modernismos como se o mundo não tivesse entretanto evoluído, quer fazer crer que o facto de a utilização de drogas, por ter milharees de anos, adquiriu um estatuto de tradição antropológica. Talvez tenha. Mas é também tradição um sem número de coisas que são reprováveis. E existem um sem número de coisas que deixaram de ser tradição porque o conhecimento actual chegou à conclusão de serem mortalmente perigosas. Como exemplo, veja que o tabaco, quando começou a ser utilizado, tinha propriedades de “purificação dos pulmões”.

Outra coisa que acho incorrecta no seu discurso é a utilização da humanidade que destrói o planeta em 300 anos como comparação… a quê? Não cheguei lá. O que tem a ver o facto de o ser humano ser um animal sem escrúpulos e sem amor próprio ou à vida que o rodeia com a proibição ou não do consumo de “substâncias naturais”?
Talvez tenha, no sentido em que existem populações na Colômbia, no Afeganistão, no Paquistão e por aí fora que são diariamente dizimadas pelos cartéis de droga. Talvez tenha, no sentido em que é a droga que paga grande parte do armamento que os terroristas sul-americanos, como as FARC, utilizam no massacre de populações inteiras, ou o dinheiro da papoila no Afeganistão que alimentou durante décadas o negócio das armas. Talvez tenha, no sentido de estarmos neste momento à beira do abismo provocado pelo SIDA que, de todo, deixou de ser um “problema homossexual”.
Mas suponho que tudo isto possam ser impecilhos à traquilidade de uma “viagem”, de um “estado superior”, de uma “mente aberta”.

Car@ WildFaun, acredite, eu sei do que estou a falar.
É que, repare, se ler o meu comentário anterior, chegará à conclusão que sou a favor da distribuição legal das drogas mediante a observância de determinados princípios. O que não faço é “intelectualizar” a droga. Não vale a pena.
E a mim pode vir dizer o que quiser…

Tenho 42 anos e, cá em Portugal, a coisa começou “a sério” em 75. Eu tinha 11 anos de idade. E digo-lhe que nunca há-de ter coisas tão “naturais” como naquele tempo.
Deixe-se de coisas, leia, estude. Fume um “charuto” de vez em quando, se isso o faz sentir bem. Mas não pense nunca que está a fazer alguma coisa de extraordinário. Está simplesmente a desencadear uma reacção adversa aos parâmetros normais do seu corpo e do seu cérebro.
É só, é simples. É o “soma”.

Abraço,
CJT

Sousa - Abril 17, 2010

Meu bom cybernout@ ve-se ao longe que é um proibicionista de todo o tamanho, sei que o post é antigo mas certamente ainda não mudou de mentalidade. Posso conserteza garantir-lhe como estudante do 4º ano de quimica que não ha relatos de danos irreversiveis fisicos no cerbero relativo ao uso de “alucinogenios” há sim relatos de danos psicologicos, mas no fundo cada um sabe de si certo? E ja agora aprenda a diferenciar um alucinogenio de um delirante colega… O xanax que muita gentinha toma, inibidores da MAO, alcool, tabaco não são drogas com consequencias nefastas para o organismo? No entanto são legais. Se vivessemos numa sociedade responsavel onde o meio termo imperasse eramos todos mais felizes, pelo justo paga o pecador, e no fim deste texto, digo-lhe apenas isto, nem tabaco fumo meu caro, apenas atingo e vejo aquilo que o senhor nunca poderá atingir nem ver pelo dogma que se abate sobre si. Cumprimentos

25. Carlos José Teixeira - Fevereiro 16, 2007

@ Rui Formiga: no que você se foi meter… 🙂

26. Rui Formiga - Fevereiro 16, 2007

Mas ainda bem q este post foi escrito!
A divergência de opiniões que existe neste polémico tema é normalíssima… e penso que o debate é uma boa forma de esclarecer e ordenas ideias e, acima de tudo, torna possível que se olhe para a Questão sob várias ópticas.

Agradeço a todos os que comentaram este Post, especialmente aos que se deram ao trabalho de fundamentar os pontos de vista.

🙂

(ah!, quero também agradecer ao Marco Prata pelo seu comentário que me fez ficar bem-disposto o resto do dia!)

27. vitor - Fevereiro 24, 2007

so preciso temp pa la ir:D..hehehehe

28. Mário Ventura - Fevereiro 24, 2007

Há com cada um…meu deus!

Bom, assim o rapaz que teve a ideia de abrir esta loja certamente não irá ter falta de negócio porque gente alucinada não falta em Portugal, pelos vistos!

29. mariajuana - Fevereiro 27, 2007

viva tou tao feliz 1 lojinha tao linda no nosso pais,viva a libedade.esperemos k kontinue aberta.saudaçoes cogumelisticas

30. Banana - Março 11, 2007

eu quero meter de tudo.. só espero que a minha dona me deixe… deve ser mesmo bom fumar salvia… thssaaccc

31. Ricardo_Caldas - Março 20, 2007

axo mt bem que tnha sido aberta esta loja e k o dono n tnh problemas cm isso, visto k ta td dentro da legalidade… disseram k foi a 1ª a abrir mas n é verdade ja existia pelo menos 2…em lisboa e em caldas da rainha as quais tb legais…material d kultivo ja ha prai aos montes e axo bem…é bonito velas crescer!!lol.. e kem é contra, axo k so s deve por de parte pois cada um faz d si o k kizeres…kem nao gostar na as frequente…É simples!! e fikamos todos felizes…

32. rafa - Março 27, 2007

axo muito bem esta loja isestir! sou a favor, i k abram mts mais.. =) kem n gosta n la va. a loja ta legal! viva a huela…

33. Rui Formiga - Março 27, 2007

Eu acho q não devem “isestir” lojas que possam por em causa a integridade mental dos consumidores que, por vezes movidos por Modas, são levados a agir sem pensar nas consequências.
Sem querer generalizar, claro!

34. manuel da mata - Março 27, 2007

ta la!!!!!!!!!!!!!! ja era tempo de abrirem essa cena ….. agora o pessoal ja anda mais a vontade.

35. george fontes e silva - Março 30, 2007

gostaria muito de comprar um cogumelo alucinogeno com instrucoes de uso.

36. george fontes - Março 30, 2007

gostaria que me mandassem uma menssagem sobre o que eu pedi, como faco para comprar…

37. Rui Formiga - Abril 3, 2007

George, não estás no sítio indicado para veres tal dúvida esclarecida.
Obrigado pela visita.

38. CAVE GIRL... - Abril 5, 2007

finalmente alguem com KNES para tentar mudar esta sociedade em decadância… é de homens assim que este país necessita, afinal são essas deliciosas substâncias que nos tiram o peso dos problemas diários muitos deles provocados pelos homens do goveno!!! NÃO FUME TABACO… FUME ERVA!!! NÃO COMA REBUÇADOS… META ÁCIDOS… NÃO BEBA ALCOOL… BEBA CHAZINHOS MÁGICOS!!! É ver a vida ás cores é ser inteligente… Assim sendo… LEGALIZE NOW!!! Para que o nosso povo não tenha de apertar o sinto…

39. FERNANDO - Abril 16, 2007

ola
VIVA!! É SALUTAR ESTE TIPO DE LOJAS!!!SÃO PRODUTOS NATURAIS!!!E NÃO COMO OS QUIMICOS QUE SE VENDEM E AINDA POR CIMA COM “TRAÇO”:O ALCOOL É UMA DROGA E NEM POR ISSO OS QUE SE DIZEM “DO CONTRA” DEIXAM DE EMBURRICAR;
PAREM COM AS HIPOCRISIAS E VEJAM O APROVEITAMENTO ESCOLAR DOS ADOLESCENTES NA HOLLANDA E COMPAREM CONNOSCO
MENTES MESQUINHAS E RETROGADAS NUNCA AVANÇAM
VIVA A OPÇÃO DE ESCOLHA
EU GOSTO DE BRANCO –E VC DE TINTO?11

40. BRUNO - Julho 9, 2007

sera que se pedir um kit no brasil, onde não sei se tais substancias estão detalhadamente preescritas como ilegais sob a ótica da constituição do meu país, o estabelecimento comercial ´´cogumelo magico“ me enviara a encomenda, sob qualquer circunstancia, transferindo qualquer responsabilidade a minha pessoa?

41. KFusion - Agosto 28, 2007

tb fazem encomendas para o estrangeiro ??

42. animal - Novembro 6, 2007

onde fica a loja pessoal…estamos a ressacar….coimbra

43. tiago - Dezembro 1, 2007

curti bue a loja acho que isso nao faz mal a ninguem pelo contario ajudamos a levar a vida numa boa abram muitas lojas desas parabens acho que vou passar por ai pra ve se compro gomelos

44. porreiro - Janeiro 7, 2008

yo bananas tudo bem??

45. porreiro - Janeiro 7, 2008

curtia ir a aveiro à loja!!! qualquer dia vou tentar ir ter ai com o socio!!

46. bluex - Janeiro 9, 2008

ola eu vivo no luxembourgo aki a um passinho da holanda compro diversas vezes cogumelos entre outras coisas…. axo bem abrirem lojas desse tipo em portugal… axo k pra os consumidores è bastante bom e atè mais facil de se “orientarem” mas a k ver os dois lados esse tipo de lojas tamèm sao um tipo de influencia pra nao consumidores estilo um meio mais facil pra se aproximarem destas e outras drogas…. atraidos pela curiosidade ou influencia de outros porke torna se mais facil a acesso a “elas”… alguèm falou do aproveitamento escolar mèdio holandes. k embora com a legalizaçao das drogas leves èra superior ao portugues… nao sei mas acredito k nao è por causa das drogas esse susseso de certeza mas sim por os mètodos de ensino entre outras coisas fora do alcançe de portugal mas posso garantir k a holanda è um dos paises mais sujos da europa em k o consumo de cannabis è mais elevado cerco de 85% dos jovens imaginem… costumo ir la è um autentico degredo… la ja kuase nao existe ar puro… mas…. prontos afinal de contas tamèm sou consumidor de estupfacientes sou bastante reservado em relaçao a isso… nao misturo com a minha vida social…………

47. durbens costa guimarães jùnior - Janeiro 16, 2008

c por acaso vcs mudarem d ideia , e quizerem vender mesmo !
estarem disposto a pagar bem !

esperando o retorno!

48. EXTRATALENTOS - Maio 31, 2008

PERFEITO…POIS CADA UM DEVERA TER A LIBERDADE DE ESCOLHER COMO QUER VIVER E O QUE GOSTA DE FAZER.!.
SAUDE SEXO E SORTE COM SUCESSSO.
CUMPRIMENTOS PLAUSIVEIS. VIVA A LIBERDADE LEGALIZE…

49. IceBrain - Dezembro 26, 2008

Não sei se ainda vale a pena comentar este assunto mas gostava de dar a minha opinião, principalmente depois de ler o comentário do sr.Carlos José Teixeira, que provavelmente já não lerá a minha resposta.

Entre ataques ad hominem (suponho que acha que sabe mais do qualquer pessoa mais nova que você, incluindo sobre espeleologia e física nuclear, por exemplo) refere estudos mas esquece-se de referir fontes que comprovem as suas afirmações (assim como o WildFaun e o Rui Formiga). Pois eu posso referir-lhe um estudo do Centro de Coordenação para a Análise e Monitorização de novas drogas Holandês (CAM): http://www.erowid.org/plants/mushrooms/mushrooms_health1.pdf

Este comprova que a utilização de Paddos (como o Psilocybe Cubensis) NÃO causa a dependência quer física quer psicológica e que não tem nenhuns efeitos permanentes, sendo que os únicos perigos são a possibilidade da experiência causar um ataque de pânico, que é baixa.

Além disso, a conversa sobre a falta de legislação é algo absurda: A componente química do produto É PROIBIDA, ou seja, NÃO SE PODEM VENDER COGUMELOS, apenas esporos. Ora isto muda tudo, na medida em que ao contrário de drogas como a cocaína que é muitas vezes comprada “no momento” (até dentro de discotecas/bares) os cogumelos legais têm que ser CULTIVADOS durante semanas seguindo regras estritas.
Ou seja, não se pode alegar falta de conhecimento do consumidor, visto que é necessário estudar os métodos de cultivo e é impossível ficar alheio aos riscos dos produtos.

Além disto tudo, e ao contrário das drogas como até o tabaco,
estas drogas são essencialmente de experimentação, e como o estudo indica, raramente os consumidores as tomam regularmente.

50. ricardo - Junho 18, 2009

haha
tambem não sei se ainda vale a pena,
mas até remédio demais faz mal…
em doses homeopaticas, acho que não faz mal.
ao menos não esta fazendo…
srrsrss

51. rafinha01 - Junho 18, 2009

legal a loja dos caras, uma pena que nao vende os cogumelos magicos secos… 😦

>eu achei esta outra loja online na internet, estes sim vendes os cogumelos magicos secos… alguem ja comprou aqui???

http://www.sementemaconha.com.br

valeu 🙂 🙂

52. Maria Isabel Ramos de Pina - Julho 2, 2010

Oá achei muito bom abrirem uma loja dessas em Portugal.
Há muito que andava à procura.
Vou passar para uma visita.
Isabel

53. Corpo - Julho 20, 2010

Boas.

Esta discussao ja tem algum tempo mas mesmo assim vou deixar aqui um comentario para iluminar as cabecas que possam vir parar aqui por acaso como aconteceu comigo.
Penso que este tema tem uma importancia maior do que a que nesta discussao está a ser dada (refiro-me a maioria dos comentarios e ainda assim concordo com uns tantos), a importancia da liberdade (ou falta dela), e é sobre isto que me vou debrucar.
Pois concordar com a proibicao (de venda, partilha, cultivo, extraçao, preparaçao, consumo, uso recreacional, uso textil, OU O QUE QUER QUE SEJA) de qualquer substancia natural é concordar com a proibicao da LIBERDADE, é concordar com o sitema proibicionista, é concordar com as barreiras colocadas pelas leis aos cientistas que realizam estudos para desenvolver mais conhecimento, informaçao sobre estas substancias que por sua vez teem o poder desenvolver mais conhecimento, informaçao a nivel do corpo e mente humana em campos como o da nutricao, ciencia, medicina, etc.

E nao é com base na informaçao disponivel que desenvolvemos uma opniao?

Entao concordar com o proibicionismo é ser hipocrita!

Onde eu quero chegar é que a chave para se resolver este problema nao esta na ”droga” ou de quem a quer ”consumir”, mas sim no estado que programou a nossa mente e a mente dos nossos pais para aceitarmos inquestionavelmente a ideia de que podemos (e devemos) impor regras e/ou concordar (ou mesmo nao concordar) com regras impostas ao que consome o meu visinho que anda com as calcas routas de lisboa enquanto passeia o cao na rua ou uma miuda no Porto para ler um livro relaxada no sofa. PODEMOS É EVOLUIR AS NOSSAS MENTES! Devemos é deixar de ter medo da ideia de aceitar que o melhor amigo do nosso filho costuma acampar para comer cogumelos no meio do mato ou que o nosso colega do trabalho fuma uma ganza com o café! Mesmo que seja prejudicial a saude DELES MESMOS..
Se o ”consumidor” tiver informaçao sobre a ”substancia” e tomar a decisao de a ”consumir”, ninguem deverá ter o direito de a proibir, seja este o estado ou a escola, os colegas ou a familia, seja uma agua mineral ou um chá de marihuana.

JÁ ESTÁ NA ALTURA DE DAR O SALTO!

Ainda há hipocritas que sao contra o cultivo de drogas naturais que todos os anos dao uns trocos para proteger especies em vias de estincao, ignorando o facto do cacto de especie peyote (que contem mescalina – halucinogeneo – entre outros principios activos) estar em vias de estinçao.
E ainda aqueles que mesmo muito preocupados com a desflorestacao nao conseguem ainda assim deixar de ser contra a legalizacao do cultivo de plantas como a cannabis.

O HUMANO NAO DEVE SER PROIBIDO DE CONSUMIR SUBSTANCIAS NATURAIS.

Há um ditado português:
”O pior cego é aquele que não quer ver.”

Tenho 19 anos e nunca tomei qualquer substancia halucinogenea, nao ha qualquer razao para alguem nao comprender o ponto de vista.

Boa sorte com a loja
obrigado pela informaçao
e um abraço.

Reprograma a tua mente.

54. AGAINST THE SYSTEM! - Julho 20, 2010

Zeitgeist – the movie.

55. quark - Junho 2, 2013

O ser humano é a pior droga que este planeta irá conhecer. Deixemos de hipocrisia todos os dias, também já farta. Quem és tu para dizer que não posso usar meu corpo?
Deixem de ser uns bostas e olhem para a vossa vida. Eu se sei o que sei hoje, posso agradecer a minha amiga mari-joana 🙂
Todos os que acham mal etc, devem andar muito mal com a vida para tentarem se meter na dos outros. Enquanto a treta do álcool existir, ( pior droga de sempre sem duvida alguma) e ninguém se queixar, porque hei de me ralar com vocês que gostam de falar sem saber nada? Vê se mesmo que quem diz que é contra, sem razão plausível, não tem mais nada que fazer, pois se o sistema legalizar a heroína, já acham bem, pois é legal…. Deixem de sem co-nas e BURROS, os portugueses então até me assustam de tanta co-nice.
Epa abram os olhos e sejam realmente uteis em beneficio dos tugas, em vez de passarem a vida a tentar de tramar e invejar o próximo e ao mesmo que o fazem, não aprendem nada de novo e depois vêem dizer que se existe milhares de morte na estrada por causa do álcool, é pena mas é legal e por isso não é tão grave. Nem parece real, mas infelizmente existem pessoas mais burras que o meu sobrinho de 3 meses. Se é para serem burros, mais vale estarem calados seus BURROS.

56. quark - Junho 2, 2013

Claro que a loja é mais que bem vinda e é pena ser só uma e não ter estirpes indicas reais. Senão ui…

57. piloto automático - Junho 7, 2014

This time, based on the purpose and the segment of the market that you consider targeting,
eliminate all products that you previously have in mind, everything that does not
fall into servicing the particular market segment that you have
decided on. A high commission percentage is important, but not primary.

a specific problem that they want an immediate and specific solution to – right now.

58. Durbens Costa Guimarães júnior - Julho 7, 2014

Rui,meu caro amigo,c for vc o tal do formiga me liga,999868816,c for vc mesmo saibas q estou com muitas saudads d todos.
Quero trabalhar no estoque desta loja,kkkkkkkk,estou falando sério.
Eles beberam meu sangue,não me deixaram viver,não deixaram eu ter o meu destino proprio.
Vieram falar d liberdade e depois me bateram.
Eles venceram a batalha,mas não sabem q a guerra ainda esta por vir

59. Durbens costa guimarães júnior - Julho 11, 2014

Logo que escrevi meu comentario pra vc rui,descobri que não era vc o rui que eu achava mais nunca é tarde pra fazermos uma boa e verdadeira amizade,fica bem e o prazer é todo meu.

60. pereira - Maio 24, 2015

Mais promenores agradecia…

61. Vivian Francesconi - Outubro 16, 2018

Vendas de cogumelos psilocybis Fresco’s organicos desidratados prontos pra consumo. 18 981650654 whatsfotos Ultima colwhita do ano


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: